PESQUISAS

Pesquisas
Euler Sandeville Jr., fev 2018

Nesta seção você poderá ver um painel/resumo de minhas pesquisas em andamento ou concluídas, orientações realizadas e outras informações sobre pesquisa e extensão de interesse para os trabalhos do Núcleo de Estudos da Paisagem. Neste domínio poderá conhecer o material da linha PAISAGEM, CULTURA E PARTICIPAÇÃO SOCIAL: PROCESSOS COLABORATIVOS DE APRENDIZAGEM E AÇÃO. Para a linha ARTE, NATUREZA E CIDADE: HISTÓRIA DA CULTURA E DA PAISAGEM você deve ir ao site A Natureza e o Tempo (o Mundo)↑. Basicamente, são as mesmas linhas de pesquisa ao longo de toda a minha atividade profissional (desde 1982). São indicadas também o Mestrado, Doutorado e Livre Docência pela estreita relação no processo de construção dos trabalhos reunidos no NEP. Continuar lendo

Euler Sandeville Jr. Sobre o Autor (Resenha Curricular)

Euler Sandeville Jr. Sobre o Autor (Resenha Curricular)
Euler Sandeville Jr.
Professor, Arquiteto e Urbanista, Arte Educador.

meu currículo Lattes ↑

meu blog pessoal   ↑

 

MINHA FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA

  • LIVRE DOCENTE PELA FACULDADE DE ARQUITETURA E UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, 2011: Paisagens Partilhadas,
  • DOUTORADO EM ESTRUTURAS AMBIENTAIS URBANAS pela Faculdade de Arquitetura e Universidade de São Paulo, 1999: As Sombras da Floresta. Vegetação, Paisagem e Cultura no Brasil,
  • MESTRADO EM ESTRUTURAS AMBIENTAIS URBANAS pela Faculdade de Arquitetura e Universidade de São Paulo, 1993: A Herança da Paisagem,
  • Pós-graduação em ECOLOGIA (USTJ, 1996),
  • graduação em ARQUITETURA E URBANISMO pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1981),
  • graduação em EDUCAÇÃO ARTÍSTICA pela Faculdade de Belas Artes (1984),

Continuar lendo

NEP: Apresentação

NÚCLEO DE ESTUDOS DA PAISAGEM (NEP): APRESENTAÇÃO
docente responsável: Euler Sandeville Jr.

por um conhecimento livre e sensível, por um mundo livre e em paz

aprender com a cidade, aprender na cidade

O Núcleo de Estudos da Paisagem (NEP) foi criado em 2003 pelo Professor Euler Sandeville a partir dos princípios da Espiral da Sensibilidade e do Conhecimento (2002) e da proposição de compreensão da paisagem não apenas como visualidade, mas construção social e partilha de experiências. Tem como objeto fundamental estudos da cidade, da natureza e da cultura. É pensado na perspectiva de um esforço colaborativo e interdisciplinar de trabalho (pesquisa, ação, reflexão, aprendizagem).

São duas as linhas de pesquisa do NEP:

1. História da Cultura e da Paisagem: Representações e Poéticas

2. Processos Colaborativos e Ações Educativas

Procuramos estudar e aprender em ação com outros parceiros os modos de produção e apropriação do espaço, através de práticas colaborativas, participantes e de gestão partilhada, bem como de estudos da história da cultura, focando nas realidades locais e relacionando-as nos sistemas ambientais e na estrutura urbana. Estabelecemos assim múltiplas camadas temporais e escalas espaciais que nos desafiam no processo de percepção e conhecimento.

O grupo de pesquisa reúne uma ampla diversidade de pesquisadores de diversas áreas de formação que atuam colaborativamente em um programa integrado de trabalho, incluindo bolsistas de pré-iniciação científica, bolsistas de iniciação científica, de mestrado, de doutorado e de pós-doutorado, além de pesquisadores populares e outros colaboradores. As pesquisas integram-se em grupos de estudos que organizamos buscando articular a compreensão local em uma compreensão de conjunto do setor urbano e de vetores e processos mais amplos que o impactam, ou mesmo em estudos temáticos de natureza histórica sobre as representações sociais e construção de saberes sobre a paisagem. As abordagens estabelecem uma articulação entre as pesquisas, disciplinas de graduação e pós-graduação e outras atividades colaborativas ou de formação. Continuar lendo

LINHA DE PESQUISA E AÇÃO: PROCESSOS COLABORATIVOS E AÇÕES EDUCATIVAS

PAISAGEM, CULTURA E PARTICIPAÇÃO SOCIAL: PROCESSOS COLABORATIVOS DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS E AÇÕES EDUCATIVAS (linha de pesquisa docente, 2001, em curso)

Corresponde à linha de pesquisa e ação do NEP: Processos Colaborativos e Ações Educativas

As pesquisas e ações se organizam na aprendizagem colaborativa a partir de fundamentos éticos e sensíveis propostos nos princípios e postulações da Espiral da Sensibilidade e do Conhecimento e na formulação de Conceitos e Métodos Participantes no Estudo da Paisagem, da Natureza e da Cidade, a partir da proposição das Paisagens como Experiências Partilhadas e Socialmente Construídas, reconhecendo suas tensões e contradições, evidenciando o drama humano que abrigam em sua dimensão histórica, ecológica e cultural. Tem como objetivo a concepção e participação em Processos Colaborativos de Aprendizagem em Ação para compreensão e transformação das paisagens em que vivemos, sobretudo com comunidades periféricas e escolas públicas. Continuar lendo

LINHAS DE PESQUISA E AÇÃO

NÚCLEO DE ESTUDOS DA PAISAGEM
LINHAS DE PESQUISA E AÇÃO

 

Parte-se da problematização da paisagem como experiências partilhadas e da proposição poética da Espiral da Sensibilidade e do Conhecimento. As paisagens que nos ocupam são entendidas como um campo de tensões e contradições, mas também de possibilidades, evidenciando o drama e os anseios do trabalho e dos desejos humanos que essas paisagens abrigam em sua construção histórica, ecológica e cultural.

Coloca-se assim em questão a problematização da cultura contemporânea; a construção histórica de formas anteriores de representação do mundo e da vida e suas conexões com a construção do espaço, as implicações sociais contraditórias e as potencialidades de nossas paisagens que se abrem com estudos colaborativos e participantes. Continuar lendo

APRENDIZAGEM EM AÇÃO: POTENCIALIDADE E GESTÃO PARTICIPATIVA DA PAISAGEM

APRENDIZAGEM EM AÇÃO: POTENCIALIDADE E GESTÃO PARTICIPATIVA DA PAISAGEM
APRENDER NA CIDADE, APRENDER COM A CIDADE

por Euler Sandeville Jr. (2013)

Às vezes imagino que na entrada das universidades há um monumento aos alunos sem nome dos ciclos básicos. Seguramente acompanhado do monumento aos professores sem nome. Estas são pessoas muito importantes, às quais não se dá importância alguma, senão quase que só numérica, no país. Esse monumento tem muita razão de ser, e é invisível, como os humanos aos quais é dedicado. É construído com ideias e afetos, com ações e experimentações. Tem uma espacialidade que se estende como uma respiração através de todos os meandros da instituição, reanimando as pessoas que estão sedentas de ar puro. Não com matéria, nem certificados, nem com registros. É criado animado por um espírito livre, como um sopro quase imperceptível, como passa imperceptível a multidão à qual se refere (dezenas de milhões!). Este monumento sem nome, deve nos lembrar uma espiral em busca da sua verdade com e diante dos outros, solidária: aprendizado.
SANDEVILLE JR., 2011.

As disciplinas e oficinas (que chamamos OFICIPLINA, para favorecer um imaginário integrado das ações e atividades desenvolvidas) assumem um caráter experimental e participativo, estabelecendo um processo de concepção e organização colaborativo, envolvendo alunos, moradores e pesquisadores. Construiu-se um percurso coletivo de vivência e pensamento, em busca de uma relação dinâmica e criativa entre Universidade, Cidade e Cidadãos, que se espera transformadora de parte a parte. Continuar lendo

DIRETRIZES / VALORES

NÚCLEO DE ESTUDOS DA PAISAGEM – DIRETRIZES / VALORES
docente responsável: Euler Sandeville Jr.

 

O Núcleo de Estudos da Paisagem adota metas ou diretrizes visando qualidades não apenas na pesquisa, mas no desenvolvimento mais pleno do pesquisador e do grupo. Essas metas envolvem três áreas:

a) a das relações consigo mesmo, com a orientação e com os colegas no grupo;
b) a dos compromissos do Núcleo de Estudos da Paisagem enquanto partícipe da universidade pública com a função social da pesquisa e do ensino;
c) a dos objetivos e qualidades das relações que o Núcleo e seus pesquisadores estabelecem no campo, e dos compromissos em nossos trabalhos com as pessoas envolvidas. Continuar lendo

%d blogueiros gostam disto: