AUP0569 – PLANEJAMENTO DE BAIRROS (PROGRAMA GENÉRICO)

AUP0569 – PLANEJAMENTO DE BAIRROS
FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DA USP
DISCIPLINA OPTATIVA
PROGRAMA REGISTRADO NO JÚPITER WEB DA USP

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2015 Desativação:

Docente(s) Responsável(eis)

652370 – Euler Sandeville Junior

1259230 – Paula Freire Santoro

 

Clique aqui para ver o Plano de Ensino do segundo semestre de 2018.
O programa registra o campo da disciplina, porém você deve consultar o plano de Ensino para ver como será desenvolvida e oferecida a disciplina.

 

Objetivos da disciplina

Desenvolver a capacitação específica do arquiteto de atuar no planejamento participativo local, através da elaboração de planos de bairro, relacionando-os com as demais escalas de planejamento territorial, considerando aspectos sociais, culturais e ambientais e da gestão integrada e participativa de serviços e equipamentos públicos, bem como sua articulação com processos de planejamento e gestão democrática mais amplos.

Programa Resumido

Propõe-se a prática de estudo e proposta de plano local ou plano de bairro, através de uma recuperação de conceitos aplicados à realidades urbanas existentes ou de expansão urbana, envolvendo a participação comunitária na elaboração e implantação, bem como sua articulação com escalas e processos de planejamento democráticos mais amplos.

Programa

Para isso ela escolherá áreas específicas de cidades existentes e proporá aos alunos praticarem uma análise do processo de produção, apropriação e consumo da área analisada, com a finalidade de se avaliar os interesses sociais em jogo.

Uma bibliografia de apoio será utilizada para desenvolver o embasamento teórico da análise.

Paralelamente serão levantados os dados específicos da área inclusive as condições de organização comunitária da mesma, visando desenvolver uma participação da comunidade no processo de seu planejamento. Ao final os alunos apresentarão propostas de ordenação dos bairros, justificadas à luz da análise teórica desenvolvida.

Avaliação

Método

Aulas expositivas e trabalho prático de atelier.
Trabalhos práticos dos alunos tanto com supervisão direta dos professores no dia de aula, quanto sem acompanhamento docente, a partir de proposições e propostas feitas pelos professores, a serem desenvolvidos fora do horário letivo, num mínimo de seis horas de trabalho por semana

Critério

Texto com exposição teórica e trabalho prático de elaboração de plano de bairro. Participação nas atividades da disciplina em suas diversas etapas.

Norma de Recuperação

Oferecerá recuperação de acordo com as normas vigentes

Bibliografia

ANGILELI, Cecília Maria de Morais Machado. Chão. Orientador: Euler Sandeville Jr. Tese de Doutorado. São Paulo: FAUUSP, 2012.

ARANTES, Antonio A. A guerra dos lugares. Sobre fronteiras simbólicas e liminaridades no espaço urbano. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional p. 191-203.

CALDEIRA, Teresa P.R. A Política dos Outros – O Cotidiano dos Moradores da Periferia e o que pensam do poder e dos poderosos. São Paulo: Editora Brasiliense, 1984.

CAMPOS FILHO, Cândido Malta. Reinvente seu bairro: caminhos para você participar do planejamento de sua cidade. São Paulo: Editora 34, 2003.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L.. Os estabelecidos e os outsiders. Sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 2000 [1964], Introdução. Ensaio teórico sobre as relações estabelecidos-outsiders, p 19-50.

FONSECA, Claudia; BRITES, Jurema (Orgs). Etnografias da Participação. Santa Cruz do Sul, RS: EDUNISC, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GARCÍA BOCANEGRA, J. C. La experiencia colombiana en los planes parciales y el reajuste de terrenos. In: MONTANDON, D. T. (coord.). Anais do Seminário Internacional Instrumentos Urbanísticos de Gestão da Valorização da Terra e de Indução do Desenvolvimento Urbano: um diálogo Brasil-Japão-Colômbia. Brasília: Ministério das Cidades, 2010, p.57-74.

MENEZES, Ulpiano Bezerra de. A paisagem como fato cultural. In: YÁZIGI, Eduardo (org). Turismo e Paisagem. São Paulo: Contexto, 2002, pg. 65 a 82.

SANTORO, P. F. O planejamento da expansão urbana: dilemas e perspectivas. Tese de doutorado. São Paulo: FAUUSP, 2012.

SANDEVILLE JR., Euler . Planos de bairro e participação na lógica de transformação urbana de São Paulo. Revista Contraste, São Paulo, FAU USP, 2013.

SANDEVILLE JR., Euler. Por pedagogias participantes e criativas na paisagem e no ambiente. São Paulo: Paisagem e Ambiente Ensaios, FAUUSP, 2013.

SINGER, Paul. Movimentos de bairro. In São Paulo: o povo em movimento. Org. Paul Singer e Vinícius Caldeira Brant. 4a ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, CEBRAP, 1983, pág. 83 a 107.

VAINER, Carlos B. Os liberais também fazem planejamento urbano? Glosas ao “Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro”. In ARANTES, Otília; VAINER, Carlos; MARICATO, Ermínia. A cidade do pensamento único. Desmanchando consensos. Petrópolis: Vozes, 2002, 3a ed, p. 105-119.

VOGEL, Arno; SANTOS, Carlos Nelson F. dos (coord). Quando a rua vira casa. Apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. Rio de Janeiro: IBAM, 1985, 3a ed. [pesq. 1979], p 11-54, 65-110, 127-142

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.